Novas medidas COVID-19

Informações sobre as medidas lançadas pelo Governo e pelas entidades públicas para preservar o emprego, a renda e apoiar as empresas.

7 cuidados importantes para a reabertura do seu comércio

Desde a declaração de pandemia do novo coronavírus e o anúncio das medidas de isolamento social no Brasil, há mais de dois meses, os empresários vêm buscando maneiras de se adaptar a uma nova rotina. Algumas empresas conseguiram aderir ao home office para manter o funcionamento, outras adaptaram o comércio para o ambiente virtual e há, ainda, as que se viram impossibilitadas de oferecer seus produtos e serviços nesse cenário e precisaram fechar as portas – temporária ou definitivamente.

Agora, há uma nova preocupação. A exemplo de estados de diversos países, o governo de São Paulo começa a estudar medidas de relaxamento da quarentena e possibilidades de uma reabertura gradual do comércio. No entanto, é importante lembrar que o número de casos confirmados e mortos pela COVID-19 ainda não parou de crescer. Em outras palavras, mesmo que a atividade comercial e a circulação de pessoas nas ruas retorne, as ações de combate à propagação do vírus ainda precisam ser respeitadas.

Pensando nisso, reunimos algumas orientações para esse momento. Lembre-se de que, em situação de reabertura, as empresas devem priorizar a saúde de seus profissionais, gestores e clientes. Além disso, é preciso criar um ambiente para que o consumidor sinta-se seguro no estabelecimento. Confira, a seguir, sete cuidados importantes para a retomada das atividades:

1 – Considere que todos podem estar infectados

Os infectados pelo novo coronavírus podem apresentar os sintomas da doença por até 14 dias. No entanto, algumas pessoas são assintomáticas. Isso significa que elas podem não manifestar indícios da COVID-19, mas são capazes de disseminar a doença. Por isso, as medidas de higiene e segurança recomendadas pelos órgãos de saúde devem ser cumpridas à risca. Vamos falar sobre elas depois.

2 – Fique atento aos decretos

Em São Paulo, as medidas de relaxamento da quarentena devem funcionar de forma diferente em cada região, de acordo com a evolução da doença e a capacidade de atendimento dos hospitais. Em coletivas de imprensa, o governador já anunciou que as novas concessões podem ser desfeitas caso a propagação do vírus evolua – ou seja, as liberações para abrir o comércio ainda teriam caráter temporário.

Mantenha-se atualizado sobre as medidas impostas para a área de atuação da sua empresa e leve em consideração o decreto de funcionamento vigente em cada região. Se houver alguma divergência entre os decretos municipais e estaduais, escolha, por precaução, seguir a orientação mais rígida.

3 – Organize a chegada de clientes e profissionais

Higienização é palavra de ordem em um contexto de pandemia. Organize uma área de chegada para clientes e profissionais em seu estabelecimento e disponibilize álcool em gel para higienização das mãos.

Adote, também, medidas para higienização das solas dos sapatos, como um borrifador com álcool 70% ou uso de propés. Além disso, peça para que todos os clientes usem máscara e, caso não possuam, ofereça a opção de compra no próprio estabelecimento.

Outra medida importante no combate ao coronavírus é a dispersão de aglomerações. Quanto maior for o distanciamento entre as pessoas, melhor. Por isso, peça para que os clientes evitem levar acompanhantes e, se o seu comércio permitir, organize atendimentos mediante agendamento para evitar filas de espera no estabelecimento.

4 – Reforce a higienização de superfícies e equipamentos

Antes da reabertura, todo o estabelecimento deve ser cuidadosamente limpo e desinfetado. Os locais de contato com o cliente merecem atenção especial: bancadas de atendimento, prateleiras, puxadores, maçanetas, interruptores, corrimões e afins devem ser higienizados com agentes detergentes, como água e sabão, e passar por desinfecção química com álcool 70% ou solução com água sanitária (composta por 250ml de água sanitária para 1L de água).

5 – Evite aglomerações e contaminação cruzada

O revezamento de pessoas no estabelecimento deve ser feito visando a preservação da saúde dos clientes mas, também, dos profissionais. Por isso, em tempos de pandemia, orienta-se que haja uma escala de trabalho para evitar aglomerações.

Defina a escala de retorno da equipe respeitando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos governos em relação àqueles que fazem parte do grupo de risco – como idosos, diabéticos, hipertensos, asmáticos e portadores de outras doenças crônicas. Além disso, se possível, estabeleça um distanciamento mínimo de dois metros entre atendentes e clientes.

6 – Oriente e supervisione os funcionários

Os colaboradores também devem estar cientes de suas responsabilidades para evitar a propagação da doença e precisam respeitar os protocolos recebidos. Oriente cada funcionário a lavar frequentemente as mãos e portar álcool em gel próprio. O ideal é que a empresa disponibilize o produto, que faz parte dos equipamentos de proteção individual em tempos de pandemia.

Além disso, exija o uso de máscara para todos. É importante lembrar que as máscaras reutilizáveis (de pano) devem ser trocadas em até quatro horas ou antes desse período, se estiverem úmidas. Em alguns estabelecimentos os funcionários usam luvas, mas o equipamento não deve, em hipótese alguma, substituir a lavagem frequente das mãos.

7 – Encontre um meio de comunicação para reforçar as mensagens

Dependendo do tamanho da equipe, uma única conversa pode não ser suficiente para garantir que todos estão cumprindo as orientações necessárias para a reabertura responsável da empresa. Criar lembretes para os funcionários usando cartazes em display ou um sistema interno de som, por exemplo, pode ajudar a reforçar os cuidados que você quer comunicar.

Fonte: Associação Comercial de São Paulo.

https://acsp.com.br/publicacao/s/7-cuidados-importantes-para-a-reabertura-do-seu-comercio


Veja também