unilever
Nós usamos cookies - os cookies nos informam quais partes dos nossos sites você visitou, nos ajudam a medir a eficácia dos anúncios e pesquisas na web, bem como nos fornecem informações sobre o comportamento do usuário, para que possamos melhorar nossas comunicações e produtos. Saiba mais sobre isso no Aviso de Cookies

Empreendendo e Aprendendo

Conteúdos sobre como administrar e desenvolver bem a sua empresa. Treinamentos, dicas de gestão, notícias sobre o mundo digital e muito mais!

Empreendedores compartilham medidas adotadas na pandemia para manter seus negócios

PEGN foi às redes sociais para conversar com donos de pequenas e médias empresas do país e entender o que eles fizeram para manter seus negócios durante a pandemia. Quais foram as mudanças ou estratégias que adotaram para inovar e seguir trabalhando, mesmo em meio às incertezas e às restrições impostas no período?

Abaixo, divididos por temas, estão relatos deixados por empreendedores nos nossos canais digitais. E que estes depoimentos possam ajudar e inspirar quem está vivenciando situações similares:

Delivery

@andre_sousa_sil – Tive que partir pra luta! Comecei eu mesmo a fazer as entregas no delivery. Aí, os pedidos foram aumentando e tive que contratar uma auxiliar. Depois, aumentou mais um pouco o volume de trabalho e contratei um entregador. Hoje, estou com nove pessoas na equipe e o delivery já corresponde a 60% do nosso volume de vendas.

@eualepedroni – Transformei o meu buffet de festas em delivery de comidas para o dia a dia e pratos/ceias para datas especiais. Meu marido tocava o negócio enquanto eu cuidava das redes sociais.

@kefirslz_ – Com o lockdown na minha cidade, fiquei arrasada, sem saber como iria continuar vendendo. Contratei um rapaz para delivery, e o meu produto, o kefir, associado ao tratamento da Covid-19, só veio me surpreender mais ainda! Fazemos iogurtes, bebidas saborizadas, sobremesas. Tudo de forma saudável e 100% natural! A pandemia trouxe também a consciência de como a alimentação e a saúde são extremamente importantes.

Começar a empreender

@the.nature.soul – A pandemia me incentivou a começar meu próprio negócio. Vender online e alcançar pessoas são desafios, mas o importante é seguir em frente e não desistir.

Migrar para o digital

@umamaya.etc – E-commerce foi a minha única opção. Mãe de dois em tempo integral, não vi a possibilidade de voltar ao mercado convencional durante a pandemia. Estudei muito sobre o assunto, fiz vários cursos no Sebrae de forma online e estou no Instagram divulgando meus produtos, que estão também no meu site.

@lidericaoficial – O meu segmento foi um dos mais afetados: eventos presenciais! Então, migrei tudo para o online: meu clube de negócios e minha mentoria. Foi a melhor coisa que eu fiz! Hoje, consigo atender empreendedoras do Brasil inteiro e até fora do país!

@mariza.aulasingles – O meu segmento (aulas online) não foi afetado, mas no começo alguns alunos ficaram resistentes quanto às mudanças. Em cidades pequenas, onde o acesso à internet é difícil, foi mais complicado migrar os alunos, e alguns desistiram.

@alexandre_a_l_v_e_s – Sou despachante e muito do serviço que era presencial agora é online. Assim, consigo administrar o meu tempo e estou ganhando a mesma coisa. Vou até arrumar um “plano B” para ocupar o tempo que eu ganhei resolvendo tudo online.

@djcrisvibe – Sou DJ e toquei em mais de 30 lives durante a pandemia. De início, somente em minhas redes sociais e, mais tarde, vendendo lives para comemorar aniversários e eventos corporativos.

@byanca.karoline – Nessa pandemia, a minha consultoria foi muito útil para as empresas que estavam sem destino por conta da crise. Fizemos uma nova estratégica para desenvolver o posicionamento e fortalecimento de marcas para as redes sociais!

@renateland.digitalconsult – Atuo na consultoria e educação continuada e tive de migrar os cursos e workshops presenciais para o formato online e inovar na área de treinamento como etapa final das consultorias. Muito difícil o treinamento em plataformas e promover a mudança cultural online, mas creio que é um caminho sem volta. Todos vão se adaptando aos poucos.

@alinemkjf – O que mais deu certo, a meu ver, foi o aperfeiçoamento rápido em potencializar o serviço ao cliente, com a procura intensa em descobrir suas maiores dores e necessidades, tudo isso aliado ao marketing digital.

Estoque zerado

@marcusamdm – Nos meus comércios, passei a usar o “Just in time” para não produzir estoque desnecessário. Reduzi a margem de contribuição dos três produtos mais vendidos e fiz o balanço nos menos vendidos. Estou conseguindo manter um bom fluxo de caixa.

Plano B

@ryannemoura – Trabalho com eventos sociais e precisei me reinventar. Abri duas novas empresas. Uma de entrega de cestas comemorativas, que tem o objetivo de transmitir sentimentos. A outra de máscaras com elástico regulável.

@bijucas_acessorios – A pandemia transformou meu plano B em plano A e, com isso, minha loja de acessórios tem expandido o seu propósito de deixar as mulheres cada vez mais enfeitadas, com valores que cabem no bolso.

@moreiramariapompeu – Eu trabalho com beleza e estética, mas hoje, nas horas vagas, também confecciono roupas sob medida.

Isabella Carvalho de Souza Di Ciero – Comecei um trabalho voluntariado de confecção de currículos. É surreal a quantidade de pessoas que não sabem fazer um currículo ou que acabam fazendo de maneira equivocada. Percebendo essa necessidade, e a necessidade da recolocação de milhões de desempregados no mercado, resolvi abrir essa pequena consultoria. Não é remunerado, mas com certeza aquece o coração e proporciona oportunidades

Por Aí Tricotando – Voltei a produzir e a levar mais a sério o hobby que tinha de tricotar. Agora, sou uma marca que faz tricô e crochê de forma sustentável.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios. Publicado em 25/05/2021, às 08h00.

https://revistapegn.globo.com/Economia/noticia/2021/05/empreendedores-compartilham-medidas-adotadas-na-pandemia-para-manter-seus-negocios.html


Veja também