unilever
Nós usamos cookies - os cookies nos informam quais partes dos nossos sites você visitou, nos ajudam a medir a eficácia dos anúncios e pesquisas na web, bem como nos fornecem informações sobre o comportamento do usuário, para que possamos melhorar nossas comunicações e produtos. Saiba mais sobre isso no Aviso de Cookies

Empreendendo e Aprendendo

Conteúdos sobre como administrar e desenvolver bem a sua empresa. Treinamentos, dicas de gestão, notícias sobre o mundo digital e muito mais!

Pandemia traz mudanças e oportunidades para o pequeno varejo

O e-commerce brasileiro bateu recordes em 2020, com mais de 20 milhões de consumidores fazendo suas compras online e, segundo a AbComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), mais de 180% de crescimento no segmento de supermercado online. Nunca se comprou tanto alimento e bebida online, uma mudança significativa para o varejo brasileiro.

Esse novo cenário aumentou a competitividade no varejo alimentar, com gigantes do e-commerce como Mercado Livre, Amazon e Magazine Luiza entrando fortemente no setor de supermercados e brigando de frente com grandes como Pão de Açúcar.

“Diante de tantas mudanças, o pequeno varejo é desafiado a se transformar mais uma vez. Diante das dificuldades trazidas pelo cenário atual, o pequeno varejista precisa explorar suas vantagens competitivas para criar mais oportunidades e fortalecer o seu negócio”, afirma Leila Okumura, co-fundadora da Local.e, plataforma digital que conecta varejistas e marcas locais, facilitando a descoberta de novos produtos.

Para ajudar nessa jornada, a Local.e e o Sincovaga se uniram na Campanha “Colaborar para Fortalecer”, facilitando a conexão do pequeno varejo com a pequena indústria para construção de parcerias.

“Um programa como esse oferece alternativas de itens diferentes dos que existem nas lojas menores. Os resultados são promissores, pois muitos varejistas já estão comprando diretamente desses pequenos fabricantes, aumentando o mix de suas lojas, adequando-se aos novos tempos que estamos vivendo e às mudanças de hábito dos consumidores”, avalia Alvaro Furtado, presidente do Sincovaga, entidade que representa mais de 35 mil empresas do varejo de alimentos no estado.

Os próximos meses continuarão a ser desafiadores para o pequeno varejo e exigirão toda a atenção, cautela e uma grande dose de coragem. Assim, será preciso concentrar os esforços nas fortalezas e aproveitar o momento para se transformar e fortalecer o negócio.

Entre as dicas dos especialistas para os pequenos varejistas estão:

1) Agilidade para implementar novas estratégias – no cenário de incertezas, estar atento aos movimentos de mercado e ter agilidade para implementar mudanças é fundamental. O pequeno varejo tem vantagem nesse quesito, afinal, é mais fácil mudar a direção de um barco do que de um transatlântico.

2. Proximidade com o consumidor – o consumidor também mudou durante a pandemia e está em busca de outros tipos de produtos para o seu dia a dia. O pequeno varejo deve aproveitar a proximidade que tem com o seu consumidor para entender e identificar suas necessidades em tempo real.

3. Espírito empreendedor – não ter medo de arriscar novas abordagens sempre fez parte do dia a dia do pequeno varejo, então por que não despertar esse espírito empreendedor para implementar novas estratégias?

4. Parcerias e relacionamentos significativos – diferente dos grandes varejistas, as relações construídas pelo pequeno varejo acabam sendo mais profundas, mais pessoais. É o momento de aproveitar os relacionamentos e parcerias construídas ao longo dos anos para criar ações conjuntas de colaboração.

Fonte: Portal Segs. Publicado em 16/03/2021, às 12h13.

https://www.segs.com.br/seguros/280475-pandemia-traz-mudancas-e-oportunidades-para-o-pequeno-varejo


Veja também