unilever
Nós usamos cookies - os cookies nos informam quais partes dos nossos sites você visitou, nos ajudam a medir a eficácia dos anúncios e pesquisas na web, bem como nos fornecem informações sobre o comportamento do usuário, para que possamos melhorar nossas comunicações e produtos. Saiba mais sobre isso no Aviso de Cookies

Novas medidas COVID-19

Informações sobre as medidas lançadas pelo Governo e pelas entidades públicas para preservar o emprego, a renda e apoiar as empresas.

Serviço digital controla fluxo de pessoas para evitar aglomeração no comércio

Evitar aglomeração. Essa tem sido uma das principais recomendações durante a flexibilização do isolamento social em várias partes do Brasil e do mundo. Mas como um estabelecimento comercial consegue contar quantas pessoas entram? E um local maior, como um shopping center, como faz? O PEGN.TEC mostra uma solução

A startup da Flávia Pini criou um projeto que ajuda empresários a manter a lotação em até 20% da capacidade, que é o máximo permitido em São Paulo. Antes da pandemia, a empresa usava internet das coisas, big data e inteligência artificial para fornecer a varejistas informações gerais sobre a movimentação de clientes: quantas pessoas entram na loja, quantas compram, quais são os horários de pico.

Quando o isolamento social começou, 90% dos clientes fecharam as portas. Este foi o momento da reinvenção da startup e a solução foi adaptar o trabalho para a reabertura do comércio. Agora, o sistema avisa automaticamente o dono da loja quando o local está mais cheio do que deveria.

“A câmera pelo fluxo consegue dizer: tem tantas pessoas no seu estabelecimento e, caso esse limite seja extrapolado, o gerente da loja pode receber um SMS e instantaneamente pode pedir que esse acesso seja pausado”, explica Flávia.

Hoje, 250 estabelecimentos espalhados pelo país já usam este controle. Entre eles, um shopping em São Paulo que tem várias entradas. Numa loja menor, o sistema pode evitar que atendimento seja prejudicado, dentro do limite de pessoas que a loja comporta.

“Daria pra contar facilmente quantas pessoas tem. Mas a gente tem uma equipe com resultado baseado em vendas e às vezes não fica atento a isso e tá querendo atender um número maior de pessoas”, explica Erick Cavalheri, dono de loja.

A startup cobra a mensalidade de R$ 100 para usar o serviço. A instalação custa R$ 1 mil, mas para as empresas que já eram clientes, o valor não foi cobrado.

Durante o período em que as lojas ficaram fechadas, a startup analisou e entendeu que tinha em mãos tecnologias que poderiam ajudar durante a abertura da economia. Além de oferecer o sistema que controla o fluxo de pessoas, também está desenvolvendo outras soluções que podem ajudar a evitar aglomeração.

“Em resumo, é o seguinte: a gente diz pro gerente de operação quantos caixas ele deve abrir por conta da previsão de fluxo que deve haver naquele momento”, explica Flávia.

Esta tecnologia ajuda a manter o distanciamento social e aumentar a consciência de como controlar a transmissão do coronavírus.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios. Publicado em 26/07/2020, às 08h01, por Juliana Munaro.https://g1.globo.com/economia/pme/pequenas-empresas-grandes-negocios/noticia/2020/07/26/servico-digital-controla-fluxo-de-pessoas-para-evitar-aglomeracao-no-comercio.ghtml


Veja também