unilever
Nós usamos cookies - os cookies nos informam quais partes dos nossos sites você visitou, nos ajudam a medir a eficácia dos anúncios e pesquisas na web, bem como nos fornecem informações sobre o comportamento do usuário, para que possamos melhorar nossas comunicações e produtos. Saiba mais sobre isso no Aviso de Cookies

Novas medidas COVID-19

Informações sobre as medidas lançadas pelo Governo e pelas entidades públicas para preservar o emprego, a renda e apoiar as empresas.

Testes para covid-19 são vendidos por R$ 251 no Rappi


Desde o dia 20, testes de coronavírus começaram a ser vendidos a preço de custo pelo aplicativo Rappi. A ação é realizada pelo movimento #2em2: a cada exame comprado, um será doado para alguém que não pode pagar. O exame será feito em esquema drive-thru, no estacionamento de shoppings de grandes cidades. Neste primeiro momento, o serviço está funcionando apenas em São Paulo. Há agendamentos disponíveis desde o dia 25, no Shopping Iguatemi, na Avenida Faria Lima, em São Paulo.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é MATERIA4-1.jpg

O teste é do tipo sorológico e é vendido por R$ 251 cada — o preço de custo. Cada cliente pode comprar até cinco testes, para pessoas com pelo menos 10 anos de idade. Se quiser, pode doar mais 5 testes (além dos que já serão doados pelo movimento), pelo mesmo valor. Entre dois e cinco dias após a coleta, os pacientes receberão um link por e-mail para ver o resultado. Por enquanto, a capacidade de atendimento é de cerca de 800 pessoas por dia.

“Estamos empenhados em usar nosso potencial de alcance e nossa tecnologia para ser a ferramenta de acesso da população aos testes. Criamos um botão no nosso app para que os usuários possam adquiri-los — e também doar outros —, agendar o melhor dia e horário para ir ao local de coleta e fazer o pagamento digital, via app”, explica Sérgio Saraiva, presidente da Rappi Brasil.

Diferentemente dos exames feitos com raspagem de nasofaringe (secreções), que apenas detectam o vírus na fase sintomática da doença, os testes vendidos no Rappi são sorológicos, feitos a partir da amostra de sangue do paciente. Assim, é possível detectar anticorpos de quem já teve a doença, mesmo se já se passaram semanas e se não houve sintomas. De acordo com a Faculdade de Medicina do ABC, a precisão do resultado é de 94%.

Os testes doados irão para hospitais públicos e filantrópicos da mesma região em que a venda foi feita. Em alguns casos, a doação pode ser feita diretamente a comunidades vulneráveis.

“Dos países com maior número de casos confirmados, o Brasil é um dos que menos realizou testes para covid-19. Mais testes significam dados mais confiáveis, o que pode ampliar consideravelmente a capacidade de resposta do país, sobretudo para a população em situação de vulnerabilidade social, que em muitas perspectivas está mais exposta aos efeitos da pandemia”, disse Ralf Toenjes, presidente da ONG Renovatio.

A campanha, sem fins lucrativos, visa à testagem em massa da população, para mapear quem já está imune à covid-19. De acordo com os idealizadores, essa seria a melhor opção para elaborarmos uma estratégia de afrouxamento do isolamento social, já dura mais de dois meses.

“Com o #2em2, vamos poder atuar ativamente como parte da solução da crise de saúde que o país enfrenta, com a oferta de testagem em massa da população de forma segura, que pode ajudar as autoridades a tomarem a melhor decisão sobre alocação de recursos de saúde, e relacionadas a economia. E ainda, tem um cunho social do movimento com doação de testes para hospitais públicos e filantrópicos. Para nós, aderir ao projeto teve sinergia com a missão da Cia. da Consulta de oferecer acesso à saúde de qualidade com a nossa expertise operacional e técnica”, destaca Victor Fiss, fundador e CEO da Cia. da Consulta.

“Quando vimos o desafio da qualidade e disponibilidade de testes, entendemos a importância de criar uma iniciativa que poderia se tornar um modelo nacional, sem fins lucrativos, de resposta conjunta da sociedade civil para este problema”, conta Tiago Barros, cofundador da Vitta, empresa de tecnologia em saúde. “De 2 em 2, a iniciativa vai testar o maior número de pessoas possíveis.” O movimento #2em2 conta a participação de startups e grandes empresas: Vitta, Stone, Cia. da Consulta, Rappi, Loggi, Iguatemi Empresa de Shopping Centers, escritório de advocacia Mattos Filho, XP Inc., QR Consulting, ONG Renovatio, Orbitae e Sic Works.

Além disso, há um conselho médico com oito profissionais, entre eles o infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência para o coronavírus no Estado de São Paulo.

Fonte: Tilt, UOL. Publicado em 20/05/20, às 20h02, por Marcella Duarte.

https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2020/05/20/testes-para-covid-19-sao-vendidos-por-r-251-no-rappi.htm


Veja também