unilever
Nós usamos cookies - os cookies nos informam quais partes dos nossos sites você visitou, nos ajudam a medir a eficácia dos anúncios e pesquisas na web, bem como nos fornecem informações sobre o comportamento do usuário, para que possamos melhorar nossas comunicações e produtos. Saiba mais sobre isso no Aviso de Cookies

Notícias e negócios

Informações sobre as medidas lançadas pelo Governo e pelas entidades públicas para preservar o emprego, a renda e apoiar as empresas.

Varejo tem alta de 6,1% nas vendas mas ainda sente o efeito covid-19

Com elevação média de 6,1% na primeira quinzena de novembro, a prévia do Balanço de Vendas, indicador da Associação Comercial de São Paulo com base nos dados fornecidos pela Boa Vista, mostra que o varejo da capital paulista se mantém em nível de recuperação e com perspectivas de encerrar o ano nos mesmos patamares de 2019, no qual o cenário econômico excluía a pandemia de coronavírus.

A recuperação econômica gradativa se iniciou em junho, quando as medidas de flexibilização começaram a valer para o comércio. Desde então, as perdas foram se diluindo com retrações de 54,9%, 47,7%, 33,6%, 14,6% e 9,2% (junho, julho, agosto, setembro e outubro respectivamente). Agora, segundo os dados preliminares, a queda é de 5,8%, se comparar a primeira quinzena de novembro deste ano com o mesmo período de 2019.

“Em outubro as vendas para o Dia das Crianças ajudaram a reduzir as perdas acumuladas até agora. Nesta primeira quinzena de novembro, embora os resultados demonstrem tendência de elevação, ainda não é possível projetá-lo”, analisou o economista da ACSP, Marcel Solimeo.

Ainda assim, segundo Solimeo, há expectativa de que a Black Friday incremente o resultado do varejo, principalmente nas lojas online.

No auge das quedas históricas para o setor, os indicadores marcaram, em março, recuo de 27%; em abril, de 63,8% e em maio, de 67%. A comparação é possível quando nos baseamos no mesmo período de 2019.

Fonte: Monitor Mercantil. Publicada em 17/11/20, às 17h13.

https://monitormercantil.com.br/varejo-tem-alta-de-6-1-nas-vendas-mas-ainda-sente-o-efeito-covid-19


Veja também